Smart City - As Cidades Inteligentes, uma realidade!

Smart City ou cidade inteligente, em português, pode ser considerado um conceito novo e está sendo levado a sério nos últimos anos por vários países do mundo.

Mas, qual a primeira imagem ou lembrança que vem em sua mente ao falar sobre o assunto?
Muitas pessoas, citam Os Jatsons como referência, desenho que fez parte da infância de muitas crianças durante as décadas de 80 e 90. Criado muito antes nos anos 60 e apresenta diversos itens tecnológicos que estão sendo desenvolvidos até hoje.

Agora, ao pensar numa cidade inteligente ou Smart City, na atualidade, podemos dizer que são aquelas com políticas ativas para utilização da tecnologia com objetivo de melhorar a infraestrutura urbana e tornar os centros urbanos mais eficientes. As medidas envolvem sustentabilidade, transporte e soluções integradas de governança, serviços diretos à população, segurança pública, educação, planejamento e transparência.

Dentre algumas existentes, gostaria de destacar Fujisawa, Cidade Smart  e Sustentável (Fujisawa Sustainable Smart Town) localizada em Kanagawa, Japão, a cidade de Fujisawa é uma junção de projetos entre empresas do setor público e privado que envolve empresas parceiras, promovendo iniciativas avançadas e a própria cidade de Fujisawa.

Tendo à frente deste projeto a Panasonic que visa a construção de 1.000 residências no formato Smart e não simplesmente buscando desenvolver uma cidade sustentada por uma infraestrutura tecnológica avançada, mas uma cidade baseada em estilos de vida.

O projeto completo de Fujisawa SST pode ser visto no link (em Inglês): http://fujisawasst.com/EN/

Após conhecer o projeto que é uma realidade, fica uma questão:
O que leva pessoas buscarem uma Smart City?

Geralmente, são pessoas que buscam viver bem e interagir com objetivo de alcançar um melhor estilo de vida. Mas, para alcançar isso, considerando que existam diversidades e pessoas pensando à sua forma, se faz necessária uma empresa para fazer o gerenciamento da cidade afim de, levar o ponto de vista dos moradores em consideração, além de adequar infraestrutura e serviços de acordo com a necessidade de forma sustentável.

Inevitavelmente, cidades inteligentes, necessitam de tecnologia de ponta, junto ao estilo de vida das famílias. Uma consequência é a integração de sistemas inovadores para garantir a sustentabilidade através de energias renováveis, como a solar, mobilidade com carros elétricos ou autônomos, bicicletas e patinetes elétricos, sistemas de vigilância por câmeras integradas as centrais de monitoramento, cuidados com a saúde que possibilitem realização de exames simples sem necessidade de médicos ou equipes de enfermagem. Todos itens que cito acima já são realidade e devem se incorporar as Smart Cities nos próximos anos.

O conceito de Smart City já se consolidou como assunto fundamental na discussão global sobre o desenvolvimento sustentável e movimenta um mercado de soluções tecnológicas. Atualmente, cidades de países emergentes estão investindo bilhões de dólares em produtos e serviços inteligentes para sustentar o crescimento econômico e as demandas materiais da nova classe média.  Assim como, países desenvolvidos precisam aprimorar a infraestrutura urbana existente para permanecerem competitivos.

Atualmente, mais da metade das cidades europeias acima de 100.000 habitantes já possuem ou estão implementando iniciativas para se tornarem de fato Smart Cities.

É certo que surgirão diversas oportunidades atreladas ao assunto e obviamente a tecnologia é um dos principais pilares. Será necessário se reinventar para uma nova realidade que busca trazer maior conforto, sustentabilidade e poderá contribuir para um mundo melhor.

Scrum – Modelo SpotifyE-commerce – Dicas para acelerar seu negócio on-line